Listen to me

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A Gente Água

[Segunda - 22:50]

Eu tenho te tratado mal, né
É que cê é sem juizo... rs.

E os sentimentos às vezes vem brutos
Machuca e eu machuco de volta como defesa

A gente ta andando com sapato grande
Mas temos que ser gente grande também

A gente não pode machucar ninguém
Muito menos nós mesmos

É tudo proibido agora
Mas a gente é água
A gente contorna
A gente flui de gota em gota
A gente dá um jeito
Depois a gente vê...

Ser leve só pela razão de ficar bem
Sem regras só pelo gosto de estar à vontade

A gente não pode machucar ninguém
Mas nós não optamos escolher
A gente não quer perder...

É tudo proibido agora
Mas a gente é água
A gente transforma
A gente se encaixa
A gente tanto bate
A gente até que fura...



Pés no Céu

[Domingo]

Buscamos a leveza
Pra poder flutuar

Me enchi de esperança
Os terceiros dizem que é ilusão
Eu prefiro acreditar
Que é minha paz que me mantem bem

Ainda estamos bem
Ainda estamos vivos
Sempre presentes na vida um do outro
Então sem regras
Sem lágrimas
Vamos nos abraçar
Fazer o que fazemos de melhor
Deixar acontecer
E apenas sentir...

Me sinto no céu
Flutuando levemente

sábado, 15 de novembro de 2014

Então, deixa eu ver se eu entendi bem...

Então, deixa eu ver se eu entendi bem...
Você vai me desculpar, mas as coisas demoram pra se encaixar
Mas pra você sempre parece tudo muito bem resolvido.

Então, deixa eu ver se eu entendi bem...
Você me ofereceu, lindamente, tudo o que não podia me dar
Mas agora quer me botar no meu devido lugar.

Então, deixa eu ver se eu entendi bem...
Você me quer perto ainda, pois te faz bem, te dá vida
Mas não tão perto, pra não confundir sentimentos.

Então, deixa eu ver se eu entendi bem...
Você respeita o meu tempo, tá sempre aberto e tranquilo
Mas o que mais me dói é que a dor é só minha.

Então, deixa eu ver se eu entendi bem...
A dor é pra quem pode sofrer
E eu não queria, mas eu posso e é tristemente lindo.

Não tem sentimento confuso aqui não
Eles sempre foram bem certos.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Choro de Janeiro a Janeiro

Não aguento ver seus pelos e ficar quieto 
Eu não mereço ser tratado assim 
Não vou pagar por suas escolhas 
Estou no chão 
E no chão 
Vou continuar 
Quero fugir

*

Não sei se fico mal por você dormir com ele 
Ou se é por não dormir comigo. 
Acho que é a segunda opção. 
Fico mal por ele ter saído do quarto 
E eu não poder te tocar mesmo que rapidamente. 
Perdi os abraços matinais.

*

No banheiro me sinto em casa
Pois tenho minha privacidade de volta 
Me masturbo, choro e reflito.

*

Maduro é o caralho.

*

Por enquanto está decidido. 
Você me faz mal. 
Ficarei afastado. 
Mas só depois desse fim de semana.

*

Estou com drogas na minha cabeça.
Eu quero mesmo fugir.

Mas diferente de você 
Eu só vou embora na pior música.

*

Eu dependo da sua inconsequência. 
Mas não sou capaz ainda de te trazer o caos.


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Máquina do Tempo

Pelos cabelos brancos
Pelo conforto
Pelas palavras
Pelos ouvidos
Se eu fosse agradecer...
Eu agradeceria
Pelo suporte
Pela conscientização
Pela diversão
Pelo cuidado, paciência e carinho

Mas isso se eu acreditasse no fim
Se eu aceitasse que é hora deu partir

Pois eu voltei na máquina do tempo
Pra quando eu te surpreendia
E eu não esperava nada
Pois era impossível, just like now

Pela sinceridade
Pela mente aberta
Por sua família
Por me ensinar o que é o pra sempre

Mas isso se eu acreditasse no fim
Se eu aceitasse que é hora de desconectar

Eu voltei na máquina do tempo
Pra quando você ficava inseguro
E eu aprendia sobre relações saudáveis
Pois era impossível, bem como agora

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Sistema do Rompimento

Preencha e invalide:
Medos Ansiedade Futuro

domingo, 2 de novembro de 2014

Over

Over.